Desculpite aguda!

sorry

Esta pode ser a doença que te impede de pensar grande e ter mais realizações.

A desculpite começa pequena e vai crescendo até se tornar a diferença entre aqueles que vão para algum lugar, para aqueles que não vão à lugar algum. No caso, as pessoas que sofrem deste mal, tendem a ficar paradas e a ter uma visão limitada do seu próprio potencial.

Onde a desculpite ataca?

Ela pode ser vista em 4 campos diferentes na vida de alguém:

  • Tempo
  • Saúde
  • Inteligência
  • Idade

E se não for tratada, pode piorar com o tempo.

Como ela começa?

A desculpite começa como uma sugestão de álibi, um pensamento, uma fala para ser usada quando alguma coisa não está indo bem na nossa vida. Esses pensamentos podem ser sobre: saúde frágil, uma educação que não foi das melhores, se sentir velho/novo demais para isso e a forma que foi criado pela família.

Quanto mais a pessoa se sugere estes pensamentos, mais ela acredita que eles são verdade e são a principal causa por não terem mais conquistas na vida/mais progresso.

Nesta série de posts, vou explicar um pouco mais de cada sintoma da desculpite.

Você pode se vacinar contra a desculpite, mas para isso, você precisa identificar os sintomas:

Vamos começar pelo sintoma mais comum da desculpite:

– A desculpite de Tempo –

“Eu gostaria de fazer mais coisas que são importantes para mim, inclusive no trabalho, mas eu realmente não me vejo com tempo para fazer isso. Eu já estou lutando para terminar o que eu já tenho que fazer, e não consigo ver onde conseguiria mais horas para fazer mais tarefas.”

Eu não tenho tempo, ou, agora não… As pessoas que dizem isso, estão querendo dizer que todo o tempo delas é usado para fazer o básico – o que elas precisam fazer – e como que você quer que ela tenha um esforço maior para fazer coisas que a levariam adiante.

Mas tem uma falha neste sintoma da desculpite, porque todo mundo, desde o presidente da maior empresa que você conhece, até um estudante, ou pessoas que não estão no mercado de trabalho possuem as mesmas 24 horas no dia, 168 horas na semana. Nem mais, nem menos.

A pergunta é: O que você faz com seu tempo?

Uma pessoa em média gasta o tempo da seguinte forma por semana:

 

  • Dormindo por 51 horas,
  • Trabalhando por 40 horas,
  • Se deslocando (transito) 14 horas,
  • Comendo por 15 horas,
  • Tempo de relaxamento (TV, família, relacionamentos amorosos, exercícios físicos) 24 horas

Totalizando de 144 horas.

Ainda restariam 24 horas para aproveitar na semana. Você pode ainda ficar 2 horas por dia nas redes sociais, e ainda te sobrariam 10 horas na semana.

Esse sintoma da desculpite de não ter tempo para as coisas que são importantes, não é real. E ainda ajuda para que a vítima desta doença fuja de novos desafios que possam surgir para ela. Ok! Posso até dizer que em raras ocasiões ele pode ser sim real. Mas me mostre… Faça suas contas, como você usa suas 24 horas?

Pessoas bem-sucedidas não tem este sintoma, porque adoram novos desafios e sabem que o sucesso é produto do esforço extra.

Tem até uma frase bem conhecida que fala: Se você quiser que alguma coisa seja feita, delegue para alguém muito ocupada, que ela criará o tempo para cumprir a ação.

A cura:

A cura deste sintoma da desculpite é simples, mas não fácil.

1º Pare de falar que não tem tempo para alguma coisa. Comece a dizer que adora desafios, e abrace oportunidades de novas ações no trabalho, em família e com seu próprio desenvolvimento.

2º Faça um planejamento de tempo. Se torne uma referência para outras pessoas de alguém que adora um desafio, ao invés de ser referência de vitimismo por conta da desculpite.

3º Encontre a melhor forma de valorizar o seu tempo. Será que ele não está sendo desperdiçado enquanto você poderia realmente colocar em prática algum objetivo que você tenha?

4º Tire as atividades da cabeça e passe pro papel! Pode ser um app também. O importante é tirar da nossa mente. Com o mundo de informações que temos hoje, fica cada vez mais desafiador confiarmos 100% na nossa cabeça. E quando colocamos no papel o que é preciso ser feito, aumentamos a probabilidade de conclusão de nossas tarefas.

Aproveite as dicas e mude suas atitudes! Não se esconda mais por trás de desculpas. Se você tem dificuldades em agir, existem processos que podem te ajudar.

Semana que vem eu conto sobre mais sintomas da desculpite aguda e que também tem cura!

Obs: Esta série da Desculpite Aguda foi baseada no livro: A mágica de pensar grande de David J. Schwartz Ph.D.

Autor: Nat Gaia

Ariana, mãe do Monet um Schnauzer que adora comer caderno, fascinada por organização, principalmente do tempo - porque assim consegue colocar muita coisa em ação - e planejadora de vidas.

4 pensamentos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s